menino_tambor

“Se um homem marcha com um passo diferente do dos seus companheiros, é  porque ouve outro tambor”.

Henry David Thoreau

Anúncios

Motivo

  

 

 

 

 

 

 

 

 
 
 
Motivo
 
Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.
 
Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.
 
Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
— não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.
 

 Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno a asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:
— mais nada.
 

Cecília Meireles

Frase do Dia

“Tem tanta gente que está amarrada ao passado ou quer tanto construir o futuro que não consegue, de jeito algum, enxergar o hoje. É difícil priorizar o presente sem perder de vista o amanhã e, se possível, deixar o passado de lado”.

Jonas Bloch

ARROGÂNCIA

 

 

Acima da capacidade intelectual e profissional, está a capacidade de reconhecer que nenhuma verdade é absoluta.
Ter a humildade em admitir o próprio erro, mesmo que isto represente situação adversa, é digno e nos aproxima das outras pessoas. O segredo do sucesso, começa por ser querido pelas pessoas.
A chance de se obter sucesso é inversamente proporcional ao número de inimigos que você cria.
Ter autoconfiança, sim. Ser arrogante, JAMAIS. Não confunda arrogância com coragem, ousadia liderança ou segurança.
Os arrogantes colecionam fracassos (nem sempre financeiros), mas todos sempre são justificados e cada justificativa incabível, gera outro fracasso e o ciclo nunca é interrompido.

  O arrogante tem características facilmente notadas:

-Jamais se considera arrogante. Em sua opinião, ele apenas defende suas posições e princípios.
-Quando fracassa, a culpa é dos outros ou a sorte não o acompanhou .
-Cobiça o sucesso dos outros, mas é claro que não assume isso, “afinal ele é a personificação do sucesso”.
E se esse sucesso pertece à alguém próximo, isso o incomoda profundamente a ponto de lhe fazer mal.
-Nunca elogia ou enaltece a conquista dos outros. Sempre encontra um defeito ou desmerece tal conquista.
-Quando “reconhece” um erro, o que é muito raro, justifica-o mentindo ou omitindo detalhes.
-Exige ser ouvido, mas não dá ouvidos à ninguém.
-Quando solicita opinião, é apenas um meio de autoafirmação. Seu desejo é ser aprovado, caso contrário desconsidera a opinião dada.
-Humilha e destrata quem o desagrada ou tem opinião diferente da sua.
-É um verdadeiro especialista em dizer frases infelizes.
-Acha que tem controle sobre tudo, inclusive sobre as pessoas.
-Tem solução para os problemas alheios, mas jamais consegue resolver os seus.
-A sua palavra obrigatoriamente prevalece sobre qualquer outra.
-Sempre enaltece suas supostas qualidades.
-No auge de sua falsa modéstia, diz que seu maior “defeito” é ser perfeccionista.
-Critica à todos, porém desconhece o que seja autocrítica.
-É egoísta, mas exige solidariedade das pessoas.
-É mentiroso e acredita na própria mentira.
-Não é respeitado e sim, temido.
-Dificilmente agradece por um favor recebido, pois jamais reconhece que o recebeu.
-Se considera o melhor amigo, o melhor conselheiro, o melhor filho, o melhor pai, o melhor marido, o melhor amante, o melhor profissional, o melhor sujeito e por isso raramente muda de atitude.
-Passa a vida pensando que é querido por todos, quando na verdade é odiado por muitos.
-Muitas vezes, tem uma vida infeliz ou medíocre, se achando a pessoa mais feliz do mundo.
-O arrogante termina a vida se arrependendo tarde demais por tudo o que causou aos outros e à si mesmo.

Estações

Um homem morava no deserto e tinha quatro filhos ainda adolescentes. Querendo que seus filhos aprendessem a valiosa lição da não precipitação nos julgamentos, os enviou para uma terra onde havia muitas árvores. Mas ele os enviou em diferentes épocas do ano.

O primeiro filho foi no inverno, o segundo na primavera, o terceiro no verão e o mais novo foi no outono. Quando o último deles voltou, o pai os reuniu e pediu que relatassem o que tinham visto:

1) O primeiro filho disse que as árvores eram feias, meio curvadas, sem nenhum atrativo.

2) O segundo filho discordou e disse que na verdade as árvores eram muito verdes e cheias de brotinhos, parecendo ter um bom futuro.

3) O terceiro filho disse que eles estavam errados, porque elas estavam repletas de flores, com um aroma incrível e uma aparência maravilhosa.

4) Já o mais novo discordou de todos e disse que as árvores estavam tão cheias de frutos que até se curvavam com o peso, passando a imagem de algo cheio de vida e substância.

Aquele pai então explicou aos seus filhos adolescentes que todos eles estavam certos. Na verdade eles viram as mesmas árvores em diferentes estações daquele mesmo ano.

Ele disse que não se pode julgar uma árvore ou pessoas por apenas uma estação ou uma fase de sua vida. Explicou que a essência do que elas são, a alegria, o prazer, o amor, mas também as fases aparentemente ruins que vêm daquela vida só podem ser medidas no final da jornada quando todas as estações forem concluídas.

Se você desistir quando chegar o “inverno”, vai perder as promessas da primavera, a beleza do verão e a plenitude do outono.

Não permita que dor de apenas uma “estação” destrua a alegria de todas as outras. Não julgue a vida por apenas uma fase.

Persevere através dos caminhos difíceis, e épocas melhores virão com certeza!

Viva de forma simples, ame generosamente, importe-se profundamente, fale educadamente… E deixe o restante com Deus!

A felicidade mantém você doce. Dores mantêm você humano.

Quedas te mantêm humilde. Sucesso te mantém brilhando.

Provações te mantêm forte. Mas somente Deus te mantém prosseguindo!