Por que minha família não é perfeita?

Simpsons
“As famílias felizes parecem-se todas;
as famílias infelizes são infelizes cada uma à sua maneira”.

(Leon Tolstói, no parágrafo inicial do romance “Anna Karenina“)

Todos nós já sonhamos em algum momento em ter ou ser aquela família da propaganda da margarina:  filhos bonitos e saudáveis, mesa farta, casa impecável, casal se cumprimentando com beijinhos e sorrisos de manhã cedo (sem olheiras e sem mau humor!).

Quando tiramos os olhos da TV e contemplamos nosso lar ao amanhecer, não vemos nada além de toalhas molhadas espalhadas, mesa bagunçada, pia cheia de louça nos aguardando com um sorriso macabro, filhos exigindo dinheiro para lanche, roupa passada, bolsa, livros e celulares que não conseguem ser encontrados nunca sem nossa ajuda.

Apesar de amarmos nossos entes queridos, gostaríamos de modificá-los um pouquinho só, para trazer um pouco de ordem ao nosso lar, mas, na maioria das vezes, a tentativa de controlá-los  resulta em mais conflitos.

A Bíblia nos traz ricos e preciosos relatos de famílias iguais e até piores que as nossas. As famílias dos patriarcas (Abraão, Isaque e Jacó) foram um verdadeiro modelo do que não se deve ser e fazer. Na família de Ló, as filhas até chegaram a dormir e engravidar do próprio pai. Na família do maior rei de Israel, Davi, teve de tudo um pouco:  adultério, praticado pelo próprio rei; incesto, quando a filha de Davi chamada Tamar é violentada pelo próprio irmão, Amnon; Absalão, o filho mais belo de Davi, passa a vida tentando tomar o trono do pai, e, para provocá-lo, chega até a dormir com as mulheres de seu pai numa tenda exposta ao público. Até a Sagrada Família deixa a desejar: José e Maria perdem o menino Jesus, com apenas doze anos de idade, na volta de uma romaria em Jerusalém, e só perceberam isso depois de um dia inteiro de viagem… Ah, se naquela época já tivesse conselho tutelar!

Ao olharmos para o texto sagrado, nosso coração fica mais aliviado. Nossa família nem é das piores!

Nossa família não pode ser perfeita pelo simples e óbvio fato de que nós não somos perfeitos! Nossas falhas, defeitos e devaneios somados aos de nossos queridos resultam nesse quadro admirável que vemos em nosso lar!

Nossas tentativas de aperfeiçoamento familiar serão todas vãs se nossa confiança não estiver depositada no Senhor, o Deus que inventou a família. A Palavra de Deus nos esclarece isso perfeitamente:

Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela. Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão de dores, pois assim dá Ele aos seus amados o sono. Eis que os filhos são herança do Senhor, e o fruto do ventre o seu galardão. Como flechas na mão de um homem poderoso, assim são os filhos da mocidade. Feliz o homem que enche deles a sua aljava; não serão confundidos, mas falarão com os seus inimigos à porta“.

Feliz aquele que teme ao Senhor e anda nos seus caminhos. Pois comerás do trabalho das tuas mãos, feliz serás, e tudo te irá bem. A tua mulher será como a videira frutífera aos lados da tua casa; os teus filhos como plantas de oliveira à roda da tua mesa. Eis que assim será abençoado o homem que teme ao Senhor. O Senhor te abençoará desde Sião, e tu verás o bem de Jerusalém em todos os dias da tua vida. E verás os filhos de teus filhos, e a paz sobre Israel“.

Família perfeita não existe; é lenda. Mas existe família feliz: a família que teme ao Senhor!

Ebeneser Nogueira, na revista “Rumo” (Junho/2009).

Textos bíblicos em itálico: Salmos 127 e 128.